PlanetGeek

A senhora da água

20-04-2021 | 20:13 | Gonçalo Sá

Habituado a conjugar realismo e lirismo, Christian Petzold avança para territórios mais esotéricos numa abordagem muito livre ao mito da ninfa aquática Ondine. E embora nem tudo resulte, "UNDINE" está entre os filmes que justificam ir regressando às salas de cinema a partir desta semana.

Undine.jpg

"Se me deixares, tens de morrer. Sabes disso", ameaça a protagonista de "UNDINE" logo nos minutos iniciais do novo filme do autor de "Phoenix" (2014), "Barbara" (2012) ou "Fantasmas" (2005). O aviso dirige-se ao companheiro, que diz querer deixá-la, mas o espectador também esbarra logo com uma mulher aparentemente disposta a tudo, numa alusão directa à figura mítica com a qual partilha o nome - e que assassinava os amantes que lhe fossem infiéis.

Na versão do realizador alemão, Undine é uma historiadora que trabalha num museu de Berlim e mais uma mulher (sob a influência) que sucede a várias protagonistas encarnadas por Nina Hoss. Mas ultimamente a musa do cineasta tem sido Paula Beer, que já tinha brilhado no seu filme anterior, "Em Trânsito", ao lado de Franz Rogowski, com quem volta a compor um casal. E aqui brilha ainda mais, ao ser quase sempre alvo das atenções da câmara e uma das principais responsáveis pelo efeito atmosférico e enigmático do filme - não por acaso, esta interpretação valeu-lhe o prémio de Melhor Atriz no Festival de Berlim do ano passado.

Undine 3.jpg

Petzold não deixa a sua protagonista desamparada e oferece um retrato com muitas singularidades já habituais na sua obra, ao cruzar uma jornada íntima com o passado e o presente da Alemanha - e da capital em particular - sem uma fonteira muito clara entre o real e o onírico, valendo-se de um sentido estético cada vez mais apurado. A distância entre o pântano e a cidade torna-se mais ténue através da fotografia do cúmplice Hans Fromm e da profusão de elementos esverdeados nos cenários - da água às árvores, das portas às cortinas, passando pelos olhos de Breer. E a música de Bach consolida o efeito tão encantatório como inquietante, complementada por um design sonoro tenso, às vezes a caminho do drone.

Há muito a admirar em "UNDINE", o que o torna inteiramente merecedor da experiência numa sala de cinema. Mas é irónico que esta história de amor à qual não falta um romantismo obsessivo (outras das marcas de Petzold) nunca chegue a arrebatar, apesar de algumas sequências de antologia (como a que envolve um aquário) e da entrega do casal protagonista (embora Franz Rogowski esteja a escorregar para o typecasting depois das personagens também alienadas q.b. de "Entre Corredores" e "Happy End").

Undine 2.jpg

O esmero formal e a ambição temática nem sempre têm correspondência num argumento que não chega a mergulhar nas cicatrizes individuais e colectivas de uma forma tão desafiante como poderia. E que esmorece especialmente na recta final, mais próxima de uma maqueta (e há muitas nas cenas da vida profissional da protagonista) do que da consistência que alguns momentos prometiam.

Tendo em conta que o resultado exige uma suspensão da descrença ainda maior do que muitos dos títulos anteriores do seu autor, o deslumbre vem acompanhado de alguma frustração. Felizmente, há acessos de humor quando o tom ameaça tornar-se demasiado sisudo ou fatalista (como o recurso inusitado a um clássico dos Bee Gees), e mais uma vez ninguém pode acusar Petzold de falta de risco. Fica a curiosidade de ver o que fará a seguir, já que esta é a primeira obra de uma trilogia inspirada em fábulas germânicas. Para já, "UNDINE" dava uma bela sessão dupla com o esquecido "Ondine" (2009), de Neil Jordan, filme igualmente interessante mas menos opaco no encontro de mundos, épocas e ambientes aquáticos.

3/5

Descuido do Facebook revela táctica para enfrentar leaks de "scraping"

20-04-2021 | 20:00 | Aberto até de Madrugada

Um email interno do Facebook divulgado por engano revela a estratégia para lidar com os casos de leaks de dados obtidos via scraping, fazendo passar a imagem de que é algo "normal".

O Facebook já entrou em modo de contenção de danos a propósito do caso da revelação dos dados de 533 milhões de utilizadores incluindo números de telefone (e pelo qual os europeus poderão pedir indemnização).

O FB tem-se recusado a admitir que o caso se enquadre como "falha de segurança" ou "hacking", dizendo que se tratou apenas uma divulgação de dados que já estavam publicamente visíveis, obtidos por intermédio de scraping - uma técnica em que scripts automatizados percorrem as páginas acessíveis na internet para recolherem informações. O email mostra como as instruções do Facebook passam por repetir essa ideia, dizendo que é uma prática generalizada e "normal", para reduzir o impacto deste tipo de incidentes.

Parcialmente, o FB tem razão. O "scraping" é uma técnica comum e usada permanentemente, bastando relembrar que é precisamente isso que fazem os motores de busca para analisarem os conteúdos de cada página. Mas, é também utilizada por lojas online para espiarem os preços de lojas concorrentes; ou por companhias aéreas e agências de viagem para verem os preços praticados por outros; e, neste caso em concreto, para recolher todo o tipo de informação sobre utilizadores, que estes disponibilizem publicamente. Muitas pessoas poderão não achar problemático indicarem numa rede social a cidade onde vivem, mas isso significa que alguém, algures, já terá compilado essa informação, numa base de dados com utilizadores e respectivas localizações.

Dito isto, o FB não está isento de culpas, já que este último mega-leak não se limitou apenas ao scraping de dados, mas sim a tirar partido da funcionalidade que permitia encontrar amigos pela lista de contactos telefónicos; e os hackers em questão terão abusado do sistema dizendo que tinham como amigos todos os números de telefone do mundo do "111111111" ao "999999999".

Musk diz que acidente com Tesla não tinha Autopilot activado

20-04-2021 | 17:30 | Aberto até de Madrugada

Houve um novo acidente mortal num Model S, com duas vítimas, e onde nenhuma estaria no lugar do condutor - que voltam a gerar críticas sobre a susposta segurança do Autopilot.

A Tesla está outra vez nas notícias devido a um acidente com um Model S onde morreram os dois ocupantes e onde aparentemente não estava ninguém no lugar do condutor. Uma pessoa estaria no banco do passageiro na frente, a outra no banco de trás, com algumas testemunhas a terem também confirmado que teriam ido dado uma volta para demonstrar o funcionamento do modo Autopilot.

Só que Musk já veio dizer que, pelo que podem ver dos registos, o veículo não só não estaria com o modo Autopilot activado no momento do acidente, como nem sequer tinha comprado a opção FSD, sendo que o sistema também não deveria activar-se por se tratar de uma estrada sem as marcações laterais.

Your research as a private individual is better than professionals @WSJ!

Data logs recovered so far show Autopilot was not enabled & this car did not purchase FSD.

Moreover, standard Autopilot would require lane lines to turn on, which this street did not have.

— Elon Musk (@elonmusk) April 19, 2021

Só que entretanto, um utilizador já veio demonstrar que o modo Autopilot pode ser facilmente activado numa estrada sem linhas laterais, e que no caso de haver uma curva, o carro seguiria em frente e chocaria contra as árvores.

There was a tragic accident that transpired last night with a Tesla. The initial report indicate there wasn’t a driver in the drivers seat. Some say the street won’t allow autopilot due to not having lines. My Tesla activates autopilot without lines. I could end up in a tree pic.twitter.com/26TVw9Bo98

— Sergio Rodriguez (@LyftGyft) April 18, 2021

Independentemente de tudo o resto e dos excessos cometidos pela Tesla a exacerbar as capacidades do Autopilot, a verdade é que a utilização do Autopilot está de facto sujeita à atenção constante por parte do condutor, e cabe a este estar bem consciente desse facto. Entretanto, a Tesla também divulgou um relatório em que diz que a utilização do modo Autopilot reduz para um décimo a possibilidade de acidentes face à condução manual - mas convenientemente esquecendo-se que esse valor piorou face aos seus próprios resultados publicados no ano anterior.

Apliques Philips Hue para exterior a €109

20-04-2021 | 16:30 | Aberto até de Madrugada

Quem quiser expandir a sua família de lâmpadas Philips Hue para o exterior, pode recorrer aos apliques Hue preparados para enfrentar a exposição à chuva e sol.

A maioria das pessoas associada o sistema Philips Hue às lâmpadas e fitas LED para interior. Mas a verdade é que há muito que a família Hue conta com produtos para o exterior, incluindo apliques, iluminação para jardim, e até barras de iluminação para paredes. Desta vez, trazemos uns simpáticos apliques LED Appear White and Colour, que podem iluminar uma casa com qualquer cor que se deseje, e facilitar o processo de automatização ou integração com outros sistemas.
Estes apliques LED Philips Hue Appear estão disponíveis por 109.90 euros na Amazon Alemanha.

Infelizmente por agora este preço promocional apenas se aplica aos apliques em preto, sendo que a versão em metal escovado, lançada mais recentemente, permanece com o preço de tabela de 149.97 euros - sendo necessário aguardar por uma promoção para esses, se fizerem questão de preferir esse modelo.

Embora seja um investimento algo avultado face a outros apliques LED (que, em caso de avaria, têm que ser substituídos por completo), ou apliques tradicionais que possam levar lâmpadas LED, a longa longevidade dos LEDs e a qualidade de construção dá-nos algumas garantias de que irão durar por muitos e longos anos. Depois de inicialmente ter considerado usar lâmpadas Hue em apliques exteriores tradicionais, acabei por me deixar convencer por um par destes Hue Appear. Veremos se terá sido uma decisão acertada daqui por meia dúzia de anos.


Acompanha as melhores promoções diárias no nosso grupo AadM Promos.

Notícias do dia

20-04-2021 | 15:30 | Aberto até de Madrugada

WordPress também vira costas ao FLoC da Google; Facebook revela ofensiva no áudio para combater Clubhouse; smartphones com câmaras invisíveis sob o ecrã chegam ainda este ano; Sony recua e mantém PS Store para PS3 e Vita; Xbox acelera downloads com suspensão de jogos; e Android 12 vai hibernar apps pouco utilizadas.

Antes de passarmos às notícias do dia, não deixes de escolher o livro FCA cujos exemplares teremos para oferecer ao longo da semana.

Magic Leap 2 chega nos próximos meses

Apesar do fiasco do Magic Leap, que acabou por não cumprir as muitas promessas de que iria revolucionar o mundo da realidade aumentada, a empresa parece estar a conseguir sobreviver ao ponto de anunciar que está para breve a chegada dos Magic Leap 2, novos óculos que serão 50% mais compactos e 20% mais leves do que o modelo "monstruoso" original.

Por muito que eu gostasse de ver a Magic Leap a ter sucesso, por esta altura a empresa já esgotou por completo toda a credibilidade que tinha em termos de promessas. Tudo o que pode fazer é lançar os Magic Leap 2 e demonstrar, sem margem para dúvidas, de que tem realmente um produto vencedor que possa revolucionar o mundo. Caso contrário, o seu contributo para a posteridade será fazerem parte do grupo de grandes fiascos tecnológicos.


Amazon abre salão de cabeleireiros em Londres

A Aamzon continua a expandir as suas áreas de negócio, agora com a abertura do seu primeiro salão de cabeleireiros em Londres. Um salão onde os/as clientes poderão tirar partido da mais recente tecnologia de realidade aumentada para verem como é que o seu cabelo irá ficar na cor pretendida antes de lhes tocarem num cabelo que seja.

Relembre-se que a Amazon tem continuado a investir nas suas lojas automatizadas, em que os clientes podem simplesmente pegar nas coisas que querem e sair sem necessidade de passarem por uma caixa de pagamento tradicional, com as coisas a serem debitadas automaticamente na sua conta Amazon. Por este andar, daqui por mais uma década, para além das lojas e cabeleireiros, teremos também oficinas Amazon, dentistas Amazon, ginásios Amazon, cafés Amazon, creches Amazon e funerárias Amazon.


Fitbit Luxe tentar entrar no mundo "da moda"

A Fitbit quer tentar tornar as braceletes de tracking em acessórios de moda, e para tal avança com o seu novo Fitbit Luxe. Este modelo de $150 conta com construção em metal, sem botões, sendo controlado exclusivamente via o seu touchscreen OLED.

As funcionalidades são as mesmas que se podem encontrar nas braceletes mais económicas, mas aqui com a promessa de que será um dispositivo que poderá ser exibido com orgulho, como acessório de moda. Agora coberá aos consumidores decidirem se concordam, ou se se sentem melhor servidos com produtos bem mais baratos - como a Mi Band 6 da Xiaomi - e que dispensam a necessidade de pagar uma subscrição mensal para ter um serviço "premium" (este Luxe inclui seis meses de Fitbit Premium, que depois custará $9.99 por mês).


Jornal britânico processa Google dizendo que penaliza sites se não lhe venderem publicidade suficiente

A prática de negócio da Google volta a ser posta em causa, com o jornal britânico Daily Mail a avançar com um processo contra a Google acusando-a de ter penalizado o seu site nos resultados das pesquisas por ter começado a vender mais publicidade de empresas de publicidade concorrentes.

O sector da publicidade online é extremamente competitivo, e apesar da Google ser um dos gigantes neste sector, há muitas outras empresas que prometem pagamentos superiores pelo espaço publicitário nos sites. Infelizmente, uma vez que a Google se esconde atrás de um algoritmo secreto para a apresentação dos resultados, será bastante complicado demonstrar se uma eventual despromoção na pesquisa poderá ter sido "influenciado" pela redução do espaço publicitário que estava disponível para o serviço da Google. Mas, de qualquer forma, é certo que não vem ajudar a posição da Google que enfrenta diversos processos em diversos países a propósito do seu eventual abuso de posição dominante.


Curtas do dia


Resumo da madrugada



Curiosidade do dia: O Windows 3.1 ocupava cerca de 15MB em disco. Desde então esse valor nunca parou de aumentar, com o Windows 95 a ter saltado para os 50MB; o Windows 98 para os 500MB; o Windows XP para 1.5GB; e o Windows 10 para 15-20GB.

Cortana disse adeus ao Android

20-04-2021 | 15:21 | Apps do Android

Tal como tinha sido anunciado em Agosto passado, a app Cortana para Android e iOS deixa de ser suportada.

A Cortana da MS nunca teve direito a uma luta justa contra a Siri e Google Assistant, incluídos de origem nos iPhones e Android respectivamente, e sem o suporte de todo um vasto ecossistema como acontece com a Alexa da Amazon. E agora, a MS reconhece que isso nunca irá acontecer.

A MS tem estado a remover o suporte da Cortana nos (poucos) dispositivos que a supoortavam, como a coluna da Harman Kardon, e agora também desparece a app Cortana para Android e iOS, com o suporte oficial a ter terminado a 31 de Março.

Os utilizadores que dependessem da Cortana nos seus smartpohones para manter coisas como lembretes e listas deixarão de ter acesso às mesmas através da app Cortana, embora possam continuar a fazê-lo através da Cortana em Windows, ou da app To Do da Microsoft, que consegue manter o acesso sincronizado a esses conteúdos.

How to Implement PHP Full Text Search without Database to Search for Project Files

20-04-2021 | 15:11 | Manuel Lemos

By Manuel Lemos
Sometimes developers need to find specific information in the files that they use to develop the Web sites that they implement.

This package provides a solution for finding the information they need with support to filter the section to text that may be in the files in sections delimited by certain start and end text marks.

MediaTek estreia chip de 4nm este ano

20-04-2021 | 14:30 | Aberto até de Madrugada

A MediaTek poderá antecipar-se à Qualcomm e Apple e ser a primeira a lançar no mercado um chip de 4nm ainda este ano.

Depois da Apple e Qualcomm terem lançado os seus chips de 5nm, é a MediaTek que poderá dar o passo seguinte e trazer para o mercado o primeiro chip de 4nm. O próximo SoC topo-de-gama da MediaTek será produzido num processo de 4nm pela TSMC, e será uma aposta bastante arriscada por parte da empresa.

Isto porque estar na linha da frente deste tipo de coisa não sai nada barato e, neste caso em concreto, significa que este novo chip da MediaTek irá ter um preço bastante elevado de $80 por chip, o que representa um valor substancialmente superior aos $30-$35 dos chips de 5nm. Ainda assim, a MediaTek diz já ter encomendas asseguradas por parte de diversos fabricantes.

Veremos que tal resulta esta estratégia, e se com isto a MediaTek conseguirá elevar-se para um patamar em que deixe de ser considerada como a empresa com os chips mais fracos e económicos face à Qualcomm. Só teremos que esperar até ao final do ano para ver se o seu futuro chip topo de gama conseguirá superar os topos de gama dos seus concorrentes.

Xbox acelera downloads com suspensão de jogos

20-04-2021 | 13:00 | Aberto até de Madrugada

Com a actualização de Abril, a Xbox pode acelerar o download de jogos e actualizações, com a suspensão de jogos activos.

A capacidade de multitasking da Xbox One e Xbox Series X / S permite que a consola faça o download de novos jogos ou actualizações enquanto se vai jogando, mas alguns jogadores não saberão que nessas circunstâncias é aplicado um limite à velocidade de download, para que não afecte de forma notória o desempenho do jogo. Quando se tem pressa para que esse download seja concluído, a recomendação é a de encerrar manualmente o jogo, mas isso deixará de ser necessário com a mais recente actualização da consola.

A partir de agora, a Xbox apresentará uma nova opção para suspender o jogo no ecrã de gestão dos downloads e actualizações, permitindo que a consola aplique a prioridade máxima ao download - sem que seja necessário encerrar o jogo.

De resto, na Xbox Series X / S isso é algo que nem implica qualquer atraso, pois a sua capacidade de Quick Resume permite retomar o jogo tal como estava numa questão de segundos; sendo uma das suas melhores funcionalidades (pelo menos, para todos os que ficam frustrados com jogos que, de outra forma, demorariam uma "eternidade" para arrancar). A app Xbox para Android e iOS também foi actualizada, e passa a poder exibir os achievements.

Câmaras invisíveis sob o ecrã chegam ainda este ano

20-04-2021 | 11:00 | Aberto até de Madrugada

A segunda metade do ano será marcada pela chegada de modelos da Samsung, Xiaomi, Oppo, Vivo e ZTE, todos com câmaras "invisíveis" sob o ecrã.

O fim dos notches e dos furos nos ecrãs para as câmaras frontais pode estar prestes a chegar, pelo menos a acreditar-se no que diz o habitual leaker Ice Universe:

The second half of the year is when the Under Display Camera officially debuts, including at least Samsung (folding), Xiaomi (MIX4), OPPO (folding), vivo and ZTE (greatly improved version)

— Ice universe (@UniverseIce) April 19, 2021

Segundo ele, são muitas as marcas que estão a preparar modelos com câmaras invisíveis com chegada ao mercado marcada para o segundo semestre deste ano, incluindo um modelo dobrável da Samsung, um Mi Mix 4 da Xiaomi, um Oppo dobrável, um Vivo, e ainda um ZTE com nova geração desta tecnologia.

De lembrar que a ZTE foi a primeira marca a lançar um smartphone com câmara sob o ecrã, mas que depressa revelou que a tecnologia ainda não estaria no ponto ideal para ser lançada, sofrendo com diferença de qualidade na secção do ecrã sobre a câmara, para além de afectar negativamente a qualidade das imagens captadas pela câmara frontal. Desde então a ZTE diz já ter melhorado significativamente esta tecnologia, sendo agora uma questão de se aguardar para ver se desta vez as coisas já estarão no ponto (sendo que, da parte da Apple, a previsão é a do iPhone poder perder o característico notch, que deverá ser encurtado este ano, lá para 2023 com adopção de um Face ID sob o ecrã).

Sony recua e mantém PS Store para PS3 e Vita

20-04-2021 | 10:00 | Aberto até de Madrugada

A Sony recuou na intenção de encerrar o suporte da PS3 e PS Vita na PlayStation Store - mas mantém o fecho para a PSP.

Há cerca de um mês a Sony desapontou os fãs de longa data com o anúncio que as suas consolas mais antigas perderiam o acesso à PlayStation Store em Julho. Uma decisão que gerou um coro de protestos e críticas, apesar das explicações da Sony de que preferir focar todos os seus esforços nas consolas mais recentes (PS4 e PS5).

Pois bem, desta vez a Sony parece ter ficado sensibilizada com as vozes dos fãs, e revela que a PlayStation Store continuará acessível na PS3 e na PS Vita - sem no entanto avançar com informação concreta sobre se isto será feito de forma permanente, ou se se trata apenas de um adiamento com morte anunciada para um futuro não muito distante.

Quem não tve igual sorte foi a Sony PSP, que a 2 de Julho deixará de ter acesso à PS Store a 2 de Julho - sendo que os actuais utilizadores continuarão a ter acesso e descarregar conteúdos já comprados, mas deixarão de poder comprar novos conteúdos digitais.

Ganha livros FCA [Abril 2021]

20-04-2021 | 09:00 | Aberto até de Madrugada

Este mês temos nova selecção de livros gentilmente disponibilizados pela FCA para oferecermos, e que serão do agrado de quem se interessar por Bases de Dados, Python, ou Excel.

A FCA – Editora de Informática, do grupo de edições técnicas LIDEL, é um projecto 100% português que iniciou a sua actividade em Outubro de 1991. Apresenta a mais completa biblioteca de informática em português, tendo publicado desde a sua criação mais de 1800 livros. Está presente nos principais países de expressão portuguesa e as suas obras são dirigidas a profissionais, estudantes e público em geral. No catálogo online da FCA, os leitores podem ainda encontrar material auxiliar e algumas actualizações, que lhes permitem acompanhar o desenvolvimento das tecnologias e dos sistemas de informação.

Para este mês os candidatos são os seguintes livros:




Já sabem como funciona... votem no que mais vos interessa; e teremos exemplares do livro mais votado para vos oferecer nos dias que se seguem - cortesia da FCA! :)

Não se esqueçam de fazer like, retweet, e partilharem com os vossos amigos para mostrarem à FCA o quanto apreciam esta iniciativa.

Loading…

Passatempo válido para participantes com morada em território nacional (Portugal).

Hama lança dispositivo para fazerem um upgrade ao rádio do carro

20-04-2021 | 08:32 | Apps do Android



Este pode ser um acessório interessante para utilizarem no vosso automóvel.

A Hama acaba de lançar em Portugal uma solução 3-em-1 para quem pretende adicionar funcionalidades de streaming sem fios, mãos-livres e carregamento rápido ao seu automóvel de uma forma simples e acessível.

O Hama FM Transmitter with Bluetooth® and Hands-Free Function coloca-se na tomada standard de isqueiro do automóvel e liga-se a qualquer autorrádio FM, independentemente da marca ou modelo.

Este dispositivo possui uma ligação Bluetooth que permite o streaming de música sem fios a partir de Spotify ou qualquer outra app usada no smartphone ou tablet, bem como o atendimento de chamadas “mãos-livres”.

As duas portas USB incluídas oferecem funcionalidades específicas: a porta do lado esquerdo (preta) pode ser usada para ligação de uma “pen” USB para reprodução de música em ficheiros MP3; a porta do lado direito (vermelha) é compatível com tecnologias USB Power Delivery e Qualcomm QuickCharge 3.0, para carregamento ultrarrápido de dispositivos móveis. Existe ainda uma ranhura que permite a utilização de cartões de memória microSDHC para a reprodução de música.[1]

O dispositivo da Hama possui apenas três botões: o botão central permite atender/desligar chamadas bem como reproduzir/pausar a música; os dois botões ‘<’ e ‘>’ possibilitam passar para a música anterior/seguinte que esteja armazenada na pen USB ou no cartão de memória. Dependendo da aplicação que esteja a ser usada, estes botões podem também controlar a reprodução, pausa, recuo e avanço de playlists.

A ligação ao autorrádio é feita de maneira muito simples, via FM: o dispositivo da Hama transmite numa gama de frequências entre os 87,6 e os 107,9 MHz pelo que é sintonizado como se fosse uma estação de rádio. Uma vez que os autorrádios permitem a memorização de estações, a ligação ao Hama FM Transmitter estará sempre a apenas um botão de distância.

Hama FM Transmitter with Bluetooth® and Hands-Free Function (ref.ª 14165) já está disponível no mercado e tem um preço recomendado de apenas 34,99€. O modelo com a referência 14164 é ainda mais acessível (PVP recomendado de 27,99€) e tem como principal diferença o facto de a porta de carregamento não suportar as tecnologias de carregamento rápido Power Delivery e QuickCharge; as restantes funcionalidades são iguais.

 

Android 12 vai hibernar apps pouco utilizadas

20-04-2021 | 08:00 | Aberto até de Madrugada

O Android 12 vai expandir o tratamento dado às apps usadas com pouca frequência, hibernando-as para poupar espaço.

No Android 11 a Google adicionou uma funcionalidade ao Android que remove as permissões dadas às apps se não forem utilizadas durante um período de dois meses, evitando que apps "esquecidas" possam manter permissões que possam ser abusadas após actualizações; e para o Android 12 prepara-se para levar o tratamento das apps pouco utilizadas ainda mais além.

Segundo algumas referências, o Android 12 vai contar com a possibilidade de hibernar apps pouco utilizadas.
Isto é, para além de remover as permissões que tiverem sido dadas à app, uma app que não seja usada durante alguns meses será marcada como app não utilizada, apagando os ficheiros temporários que tiver associado, para evitar que continue a ocupar espaço sem necessidade.

A app continuará disponível para ser executada a qualquer momento (assumindo que o utilizador continuará a dar as devidas permissões que forem necessárias para o seu funcionamento) - ao contário do que acontece com a funcionalidade de remoção de apps não utilizadas no iOS, que desinstala a app mas deixa o seu icon no ecrã.

Facebook revela ofensiva no áudio para combater Clubhouse

20-04-2021 | 07:00 | Aberto até de Madrugada

O Facebook é perito em copiar funcionalidades e serviços que estejam a ter sucesso em plataformas concorrentes, e voltou a fazê-lo para competir com o Clubhouse e reforçar a aposta na área do áudio, música e podcasts.

Vamos ter uma nova série de produtos áudio do Facebook, começando por um "estúdio de som" dentro da app do Facebook, para permitir que todos possam fazer e editar as suas próprias gravações da forma que desejarem. Gravações essas que depois poderão ser usadas de diferentes formas.

Os Soundbites serão pequenos excertos áudio, sendo descrito por Zuckerberg como sendo um "Tiktok para áudio". Teremos ainda Live Audio, o concorrente do Clubhouse para emissões em directo. E por fim, o Facebook pretende ser uma alternativa ao Spotify, Apple e Amazon como plataforma para descoberta e distribuição de podcasts.
A grande questão será saber até que ponto esta aposta será bem sucedida e / ou mantida a longo prazo. Por vezes as cópias de funcionalidades feitas pelo Facebook conseguem ter sucesso que supera a dos serviços originais; mas outras vezes acabam por ser coisas que ficam meio perdidas e acabam por ficar esquecidas e abandonadas ao fim de alguns meses. Veremos qual das situações se aplicará a esta aposta nos formatos áudio.

WordPress também vira costas ao FLoC da Google

19-04-2021 | 20:00 | Aberto até de Madrugada

Depois do browser Brave, também o WordPress anuncia que irá bloquear o FLoC da Google por considerá-lo um risco de segurança e privacidade.

O FLoC foi o sistema desenvolvido pela Google para dar resposta ao bloqueio dos cookies de terceiros que já começaram a ser bloqueados pela maioria dos browsers, dificultando o processo de sites externos fazerem o tracking dos utilizadores que visitam outros sites. Com este "Federated Learning of Cohorts", a Google prometia um sistema que permitia fazer o tracking mantendo a privacidade dos utilizadores, mas não tem sido essa a visão das outras empresas e entidades.

A EFF criticou duramente o FLoC, e browsers como Brave já bloquearam o sistema, dizendo que acaba por ser ainda pior que os cookies, pois pode revelar ainda mais informação sobre os utilizadores. Também não ajudará que a própria Google, quando começou a testar o FLoC, tenha optado por não o fazer na Europa, por recear que o FLoC violasse o RGPD / GDPR, o que seria desde logo um "mau sinal" para um sistema que prometia "proteger" os utilizadores.

Agora, também o WordPress se junta à lista dos que bloqueiam o FLoC, adicionado um bloco a desactivar o FLoC em todos os sites que o utilizam - e deixando ao critério dos administradores de cada site fazerem as devidas alterações caso desejem aceitar o tracking FLoC.

Parece ser cada vez mais certo que o FLoC estará condenado à nascença.

Galaxy S22 sem sensor ToF 3D

19-04-2021 | 17:30 | Aberto até de Madrugada

A Samsung decidiu continuar com um sensor laser AF no próximo Galaxy S22 em vez de um sensor ToF como no Galaxy S20 Ultra.

A Samsung reconsiderou voltar a adoptar um sensor ToF 3D para o próximo Galaxy S22, por conta da Apple ter adoptado esta tecnologia nos iPhone 12 Pro, mas optou por se manter com um sistema de laser AF como o que utilizou nos Galaxy S21. A empresa sul-coreana já utilizou um sensor ToF nos Galaxy S20 Ultra e no S10 5G, mas na geração seguinte limitou-se a adoptar um sensor laser AF. Um sensor laser AF dá apenas uma leitura da distância até ao elemento a fotografar, enquanto um sensor ToF dá uma imagem 3D completa (embora com uma resolução reduzida de 0.3MP no caso dos sensores que têm sido utilizados nos smartphones) em que cada pixel indica a distância desse ponto.
Para efeitos de focagem, sem dúvida que o laser AF é mais simples e económico, mas o sensor ToF será imprescindível para permitir aplicações de realidade aumentada mais realistas, possibilitando coisas como saber que partes das imagens virtuais ficarão atrás de objectos no mundo real.

A opção da Samsung parece indicar que, neste fase, não estará ainda disposta a apostar na realidade aumentada da mesma forma que a Apple tem feito; mas isso poderá mudar nos próximos anos, especialmente se / quando a Apple lançar os seus aguardados óculos de realidade aumentada, que garantidamente irão fazer com que muitos dos seus concorrentes passem a dar prioridade a essa área.

Câmara Fimi Palm 2 estabilizada a €151

19-04-2021 | 16:30 | Aberto até de Madrugada


Gostavam de ter uma câmara DJI Osmo Pocket 2 a preço mais simpático? Então espreitem esta Fimi Palm 2 com gimbal para gravações sempre estabilizadas.

É certo que hoje em dia vamos vendo estabilizadores gimbal para smartphones e action cams a preços cada vez mais acessíveis, mas a questão é que muitas vezes não se revelam tão práticos de transportar e usar como se pensa. A DJI reconheceu isso quando lançou o Osmo Pocket - uma câmara 4K de tamanho compacto com gimbal de 3-eixos integrado e que pode caber num bolso - e, como seria de imaginar, não demorou para que outros fabricantes seguissem o exemplo.
A Fimi Palm 2 4K está disponível por 151 euros, com envio envio da Europa por 4.42 euros.

Esta alternativa não esconde a inspiração no modelo da DJI, mas para além de chegar com um preço mais acessível, vem também com uma bateria com muito maior capacidade (2600mAh) e maior autonomia (308 minutos). Conta também com Bluetooth e WiFi integrado para transferências e controlo remoto mais fácil, e uma câmara 4K com lente super grande angular de 128º. Para terminar, tem também rosca para fácil encaixe num tripé ou suporte.

Uma opção ideal para quem não se quiser preocupar com o transporte de um "desajeitado" estabilizador gimbal para o smartphone para todo o lado.


Acompanha as melhores promoções diárias no nosso grupo AadM Promos.

Notícias do dia

19-04-2021 | 15:30 | Aberto até de Madrugada

Cidadãos Europeus podem pedir indemnização ao Facebook pelo leak de dados; Ingenuity já voou em Marte; iPhone 13 com notch mais pequeno; as fascinantes máquinas de escrever IBM Selectric; novo recorde da nota mais grave cantada por uma mulher; Arábia Saudita quer criar cidade linear com 170 km de extensão; Dacia Sandero Stepway com 2 estrelas nos testes EuroNCAP; jogo para crianças na App Store era um jogo de casino disfarçado; e WhatsApp facilita vida a stalkers com apps que espiam utilizadores através do seu estado.

Antes de passarmos às notícias de hoje, temos novo passatempo que esta semana te pode valer um barra LED Baseus para monitor.

Discord reduz censura NSFW no iOS

O Discord vai relaxar a censura imposta aos grupos NSFW (Not Suitable for Work) que tinha bloqueado no iOS recentemente, tirando partido de uma regra da Apple que continuará a permitir o acesso a esses grupos desde que os mesmos não estejam visíveis de origem e fiquem acessíveis mediante uma activação adicional explícita.

A censura no iOS continuará a aplicar-se aos canais que se dediquem exclusivamente a conteúdos pornográficos, mas pelo menos ficarão acessíveis outros canais NSFW menos explícitos (através da app). Seguramente a Apple fará questão de referir que os utilizadores terão a liberdade de usar o browser para poderem aceder aos conteúdos que desejarem - pelo menos, por agora.


Facebook facilita transferência para WordPress e Blogger

Sendo frequentemente acusado de dificultar o processo de transferir os dados dos utilizadores para outros serviços, o Facebook vai disponibilizar uma ferramenta que facilitará o processo de transferir publicações do Facebook para outras plataformas, como o WordPress, Blogger, ou até o Google Docs.

Embora há muito se tivesse uma ferramenta para fazer download dos dados do FB, o formato em que é disponibilizado nem sempre permite que os utilizadores saibam o que fazer com eles. Uma ferramenta que permita uma fácil transferência para outra plataforma torna-se bastante mais útil e prática de usar.


xCloud chega ao iOS e PC via browser

O serviço de streaming de jogos xCloud da Microsoft, actualmente apenas disponível em Android, chegará finalmente ao iOS e PCs amanhã, através do browser. Infelizmente, ainda será em fase beta com disponibilidade bastante limitada.

O xCloud estará acessível a partir de www.xbox.com/play e dará acesso a centenas de jogos via streaming para os subscritores do serviço Xbox Game Pass Ultimate, que também dá acesso a centenas de jogos na Xbox e PC. Os jogos podem ser jogados usando-se um gamepad, com uma selecção crescente a poder ser jogada também através de um gamepad virtual usando o touchscreen - mais prático de utilizar num smartphone quando não se tem um gamepad por perto.

Com a transição nas Xbox para um novo browser Edge mais moderno, faltará ver se também poderemos jogar jogos xCloud na própria Xbox, o que permitiria experimentar jogos sem necessidade de os instalar.


Facebook vai permitir trabalho remoto após Covid

Com o processo de transição para o regresso à normalidade pós-Covid (que também se vai fazendo por cá, com a reabertura de centros comerciais e cinemas a partir de hoje), o Facebook reafirma o compromisso de continuar a manter a possibilidade do trabalho remoto para quem assim o desejar, desde que tal seja aprovado pelo chefes de cada departamento.

O cenário do Covid-19 veio por à prova (e de forma obrigatória) as vantagens e desvantagens do trabalho remoto. A grande incógnita é saber se, com o regresso à normalidade, haverá empresas que continuem a apostar neste formato, ou se tudo isto será rapidamente esquecido, exigindo-se o regresso à rotina normal que faz com que milhões de pessoas passem horas por dia em filas de trânsito ou transportes públicos.


Curtas do dia


Resumo da madrugada






Curiosidade do dia: Podes reiniciar o Chrome mantendo todas as janelas e tabs actuais escrevendo chrome://restart na barra de endereços.

Android com recolha de dados sem autorização

19-04-2021 | 15:21 | Apps do Android

A Apple e Google recolhem dados sobre os dispositivos iOS e Android, mesmo quando os utilizadores escolhem não enviar dados.

Um novo estudo feito aos dados que são enviados pelos smartphones Android e iPhones para a Google Apple revela um cenário que infelizmente já se tornou ao ponto de já nem parecer "nada de especial". Estes equipamentos enviam dados identificativos mesmo quando os utilizadores não aceitaram enviar qualquer informação, com os dispositivos iOS a enviarem uma maior variedade de dados, mas os Android a enviarem bastante mais quantidade (até 20 vezes mais que os iPhones).

O estudo monitoriou o comportamento de dispositivos Android e iOS em cenários como: o primeiro arranque depois de um reset de fábrica, quando se insere ou remove um cartão SIUM, quando o smartphone está parado sem interacção, quando se acede à secção dos settings, quando se activa / desactiva a localização, e quando se acede à App Store / Play Store. E os resultados não foram nada animadores para os defensores da privacidade, com muitos dados a serem enviados mesmo quando os utilizadores seleccionaram que não queriam enviar dados.
Curiosamente, a Apple - que se assume como protectora da privacidade dos utilizadores - acabou por ser apanhada a recolher mais dados do que os dispositivos Android, recolhendo coisas como a localização dos equipamentos, endereço IP local, e todos os dispositivos WiFi nas proximidades - para além de coisas como o IMEI, cartão SIM, telemetria. No entanto, o Android acaba por compensar isso enviando informação com muito maior frequência:
  • Durante os primeiros 10 minutos após se ter ligado um Pixel, este enviou 1MB de dados para a Google; enquanto os iPhones enviaram apenas 42KB de dados para Apple
  • Quando deixados quietos, o Pixel envia 1MB de dados para a Google a cada 12 horas; enquanto o iPhone envia apenas 52 KB no mesmo período.

Tanto a Google como a Apple desvalorizam este estudo, dizendo que se tratam de dados que acabam por ser essenciais para o funcionamento dos equipamentos e que não colocam em causa a privacidade dos utilizadores, mas o que é certo é que isto nos deixa num cenário idêntico ao que o Windows 10 ajudou a popularizar, em que a anterior opção de "não enviar dados / enviar dados" passou a ser "enviar muitos dados / enviar menos dados"; e este parece ser um cenário para o qual se torna cada vez mais difícil escapar, independentemente das "boas intenções" que os fabricantes digam ter para recolherem esses dados.